segunda-feira, 31 de março de 2008

Organização de trabalhos em espaços públicos

Há trabalhos que implicam a utilização de espaços públicos que perturbam a normal utilização dos mesmos, mas por serem necessários tem de ser aceites por todos.
Contudo, implicam um aviso, uma avaliação prévia das condições no local, espaço disponível, etc. com vista a minimizar os efeitos negativos durante a execução dos referidos trabalhos.
Não parece ter sido esse o caso da empresa que se encontra no local da obra da Sociedade de Construções H..Hagen a fazer a ligação da rede eléctrica ao quadro eléctrico da obra.
Mais uma vez o acesso á garagem não foi tido em causa e a colocação das pedras da calçada em frente ao portão da garagem também não ajudam. Não houve qualquer comunicação prévia para saber qual a utilização da garagem no período previsto para as obras.
A viatura pesada que se encontra estacionada no local, se tivesse cumprido as regras de transito que vigoram no local (transito proibido a pesados a partir dos semáforos no sentido descendente) não estaria certamente por aqui.

4 comentários:

Anônimo disse...

A impunidade aliada à falta de vergonha e respeito pelos outros continua.
E aqueles montes de terra removida para debaixo das oliveiras do outro lado da Av.ª D. Manuel I, dão um aspecto pouco dignificante ao olival que já foi. Destroem e descaracterizam tudo, sempre em nome do progresso e dos bolsos deles.

Anônimo disse...

Você merecia era um tipo a segui-lo diaria e interruptamente, para ver se você passa sempre a estrada na passadeira e não cospe no chão. Que mesquinhice.

Robin disse...

Re:
Se houver passadeiras atravesso nelas e às vezes cuspo para o chão.
Quanto à razão do seu comentário há 3 hipoteses:
1 - Não é de Setúbal e acha que é a lei do salve-se quem puder e de que o urbanismo não deve ter regras nem leis, mas sim contribuir para que alguns encham os bolsos.
2 - É de Setúbal (como eu penso que seja) e não gosta da sua cidade.
3 - Tem interesses na obra em curso e sente-se incomodado. Mas é mesmo essa a intenção!

Anônimo disse...

O anónimo das 13:01, de 04 de Abril, deve ser filho de Setúbal mas um filho muito mal amado, que a mãe rejeitou e do pai nunca ouviu falar e ainda hoje não sabe quem é, daí ser avesso à qualidade de vida por que pugnam as pessoas de bem.