quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Diário de obras - 5ª semana

Mais uma semana passou, e aqui estão as imagens dos avanços das obras no local do Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen.
Assim ao alcance de um click podem ser vistas as transformações de toda esta área.

English version >>

More information >>

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Fato domingueiro

Assim como o Natal é quando o Homem quiser, o Domingo é quando a entidade patronal entender.
Apercebendo-me com o decorrer dos tempos como funciona a fiscalização das obras de construção civil, deparei-me com a seguinte situação, que a ser extensível a outras áreas do país é preocupante e uma total subversão do sistema.

As inspecções são feitas às terças-feiras de quinze em quinze dias. Nesses dias as obras estão um autentico luxo. Tudo vestido a rigor, tudo limpinho e os trabalhadores ilegais tem um dia extra de folga.
Quando uma maquina de aspirar ruas esteve em movimento quase permanente, na Rua Paulo da Gama no passado dia 8, isso foi entendido pelos moradores que a construtora tinha finalmente chegado à conclusão que os moradores mereciam um pouco mais de respeito e que os bocados de terra que saiam dos rodados dos camiões que transportavam a terra proveniente de um aterro em curso deviam ser limpos regularmente.
Ficamos preocupados quando na quarta de manhã um camião de transporte levou a referida maquina. Ficamos a pensar que talvez um 'graúdo' tenha vindo visitar a obra e não era bonito isto tudo estar um NOJO.
Passado 15 dias, novamente à terça feira, apareceu um camião de limpeza, agora da IPODEC a lavar a rua Paulo da Gama.

Talvez não fosse o mais apropriado para o efeito (demasiado grande), mas a rua ficou com um aspecto razoável. E se o camião de limpeza estava ao serviço dos órgãos autárquicos (pago com os nossos impostos) a limpar o que uma entidade privada sujou, não parece razoável.
Se tem que haver inspecções de rotina às obras de construção civil, por favor sejam originais e não vão em dias que todos os trabalhadores envergam o seu fato domingueiro. Talvez assim se reduza o número de acidentes de trabalho.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Intercambio (Parte II)

O que retiram de um lado ...

... colocam no outro!

Foi este o espectáculo que os moradores observaram nesta manhã de Janeiro entre as 08:00 e as 11:00 de três camiões basculantes que deslocaram as terras do local de construção do Projecto 172/07 para o local do Projecto 276/06, ambos pertencentes à Sociedade de Construções H.Hagen.
Esta movimentação só foi possível depois de prolongadas negociações entre a Organização do Rally Lavra 2008 e as outras entidades envolvidas. Como o que estava em causa era a segurança de pessoas e bens, prevaleceram estas e com grande pena da Organização, o primeiro Rally do nosso bairro irá ser cancelado.
Estava em causa a estabilidade de uma vivenda, cujos alicerces estavam em risco de colapso por terem tirado terra a mais junto aos seus alicerces.
O seu dono, falecido o ano passado contemplava impotente lá de Cima, vendo como a ganancia desmedida de alguns, podem por em causa o trabalho de toda uma vida de sacrificios.
Se há projectos feitos com 'pés e cabeça', outros há que na perspectiva de um lucro fácil só usam uma dessas partes do corpo!

Agenda cultural - Rally Lavra 2008

Realizaram-se ontem durante a tarde, um período de treinos livres para os participantes no nosso Rally Lavra 2008, o primeiro a realizar no nosso bairro.
Este decorrerá nos próximos dias 2 (motas) e dia 3 (carros) nas ruas Bartolomeu Dias, Rua Gil Eanes e Rua Paulo da Gama, provas em estrada, estando tambem previstas várias classificativas em terra batida no enorme monte de terra que se encontra no topo sul da Rua Bartolomeu Dias. Contando desde já com quase uma centena de inscrições de Pilotos nacionais e estrangeiros, irá certamente ficar na memória de todo o público presente no evento.
Para já ficam algumas das imagens dos treinos:

sábado, 26 de janeiro de 2008

Como se constroi um caminho-de-cabras

No passado dia 13 de Janeiro reuniram-se num pacato lugar da Serra da Arrabida 8 dos mais conceituados especialistas na matéria.

Após a análise de várias propostas, foi finalmente delineado o plano de execução de tão arrojado projecto, cujos trabalhos no terreno começaram logo no dia 15.

Um local de passagem de largas dezenas de moradores, na sua maioria de idade avançada, que o utilizava para se deslocar para as Escarpas de S.Nicolau ou para o único supermercado do bairro, foi agora transformado num verdadeiro caminho-de-cabras.Os trabalhos foram dados por concluídos no passado dia 24 ao cair da noite e espera-se que seja inaugurado com toda a pompa e circunstancia amanhã cerca das 12:30. Até ao momento ainda não foi possível confirmar a presença de nenhum membro do Governo em tão importante cerimónia. Fazemos votos para que não chova, para que toda esta área não seja um imenso mar de lama e para que os convidados não tenham de comprar à ultima hora calçado adequado para poderem participar no evento.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Faça uma pausa com KitKat ...


... e que ela seja tão longa quanto possível!

Uns dias chove ... outros dias faz sol (Parte III)

Efeitos colaterais (Parte II)

A Cigarra e a Formiga

Mais uma fábula para os mais pequenos:

Tendo cantado a cigarra durante o Verão,apavorou-se com o frio da estação.
Sem mosca ou verme para se alimentar, com fome, foi ter com a formiga, sua vizinha, pediu-lhe alguns grãos para se saciar, até vir a época mais quentinha!
"Eu pagarei", disse ela,"Antes do Verão, palavra de animal,com juros e o capital."
A formiga não gosta de emprestar, é um dos seus defeitos.
"O que fazia amiga cigarra no calor de outrora?"
Perguntou-lhe com alguma esperteza.
"Noite e dia, eu cantava, sem querer dar-lhe desgosto."
"Cantava? Que beleza!Pois, então, agora dance!"
in - http://web.educom.pt/paulaperna/cigarra_formiga.htm

Moral da História: Deve-se prever sempre o dia de amanhã.

Perto do fim!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Frases soltas das actas das Sessões Públicas

Reunião Ordinária de 03/10/2007
Morador - (...) Solicitou que a Câmara Municipal explicasse o que se passava na zona porque a falta de informação dava lugar a boatos e histórias que não tinham qualquer fundamento.
Sra. Presidente - (...) Considerou que era algo estranho, que pudessem vir a ser construídos lotes no local e que iria ficar com o contacto do Sr.J. para posteriormente ser dada uma resposta.

Nota: a Sra. Presidente tinha passado na zona em causa durante a tarde, por motivo de problemas ligados ao trânsito.
Comentários:
  • Se a resposta da Sra. Presidente foi elegante para 'despachar' o munícipe, deveria ser considerada sempre a hipótese de haver munícipes a trabalhar a pilhas Duracell, que duram e duram e duram ...
  • Se realmente aquela era a sua opinião sobre o assunto nem vale a pena alongar-me no comentário. Palavras para quê!

Reunião Ordinária de 18/10/2007
Sra. Presidente - (...) De acordo com o processo que tinha em seu poder, o Plano de Pormenor em curso iria assentar na criação de uma zona habitacional de qualidade, com espaços públicos de lazer bem como de actividades ligadas ao comercio, serviços e equipamentos. A equipa do Instituto Nacional de Habitação, que estava a elaborar aquele Plano de Pormenor, apresentou recentemente nos serviços técnicos da Câmara, a situação do modelo de ocupação urbana, para análise e decisão dos serviços. No final da reunião iria mostrar a planta ao Sr. Vereador Ilidio Ferreira, bem como ao munícipe que colocou aquela questão. Aquele Plano de Pormenor tinha parecer favorável da Câmara Municipal e da DRAOT/LVT. O contrato de promessa de compra e venda já tinha sido feito, entre o Instituto Nacional de Habitação e a empresa Hagen Imobiliária para a construção de um edifício de habitação. No final da reunião mostraria a planta de ocupação daquele empreendimento.

Comentários:
  • "o apresentou recentemente" deveria ser certamente anterior a 22/08/2005 quando foi aberto o Concurso Público n.º 2/DGS/05, publicado no Diário da República n.º 160. O tempo é que passa depressa ... além de que, o que se diz hoje pode não ter nada a ver com o que se disse à 15 dias atrás!
  • O Plano de Pormenor deve ter sido adaptado a um projecto já 'cozinhado' anteriormente, ou seja, é muito mais facil começar uma casa pelo telhado!

Diário de obras - 4ª semana

Mais uma semana passou, e aqui estão as imagens dos avanços das obras no local do Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen.
Assim ao alcance de um click podem ser vistas as transformações de toda esta área.


English version >>

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

O que se calhar eu não devia saber ...

  • Fax n.º58965 de 27/08/2007 - Loteamentos da Av. D.Manuel I e QT da Bela Vista

De M.... (IHRU) para Arq. A..... (CMS) com caracter urgente

"Como nosso interlocutor directo nos processos de licenciamento das obras de construção dos empreendimentos de habitação de custos controlados de que a empresa H.Hagen Imobiliária é promotora nos loteamentos da Av. D.Manuel I e Qta da Bela Vista, em Setúbal, junto remetemos cópias dos nossos fax agora enviados ao Senhor Vereador André Martins a respeito do desbloqueamento destes dois processos, no sentido da rápida reabilitação.

Agradecemos desde já também a vossa contribuição para a resolução destas situações."

Agora, o Sr. Vereador André Martins pode esclarecer porque numa entrevista ao Jornal de Setubal de 01 de Outubro deu estas informações:

A Sra. Presidente Maria das Dores Meira, numa reunião agendada entre os Moradores e a Câmara Municipal de Setúbal realizada a 31/10/2007, não quis comentar o facto de estar a haver ingerência de um organismo público - Instituto da Habitação e da Reablitação Urbana (IHRU) numa Operação Urbanística Privada (OUP).
A verdade ha-de vir ao de cima e cá estaremos para a publicar.

Ouvido de passagem ...

02/07/2007 (...) só vão gastar dinheiro e perder tempo (...)
desabafo de um "peão" do sistema
02/07/2007 (...) eles conseguem tudo, porque sabem contornar as situações (...)
idem
18/10/2007 (...) é um projecto complexo (...) zona habitacional de qualidade (...)
Presidente da CMS durante a sessão pública
22/10/2007 (...) eles fazem as asneiras e nós é que temos de as resolver (...)
desabafo de um "peão" do sistema
31/10/2007 (...) Se ainda restam dúvidas sobre a legalidade dos projectos, deverão recorrer aos tribunais (...)
Presidente da CMS no final de uma reunião com moradores
02/11/2007 (...) o prédio do lado tem varandas? E garagem? Não sabia! (...)
Arquitecto da CMS que acompanhava a aprovação do projecto
09/01/2008 (...) façam o que fizerem, NUNCA irão parar a nossa obra (...)
Engenheiro da Sociedade de Construções H.Hagen a acompanhar as obras

Protocolo ou não protocolo

Ainda do texto apresentado por um representante dos moradores na Sessão Pública Ordinária da Câmara Municipal de Setúbal de 07/11/2007 extraiu-se a seguinte parte:

Pode ler-se na página da construtora Hagen o seguinte: “No âmbito do desenvolvimento da área imobiliária, tem sido concretizada uma intervenção muito importante ao nível da Habitação Social e Habitação a Custos controlados, com o estabelecimento de um conjunto de parcerias com diversas Câmaras Municipais e com o Instituto Nacional de Habitação.” Gostaria de saber se existe alguma parceria entre a Câmara Municipal de Setúbal e o grupo Hagen, para que em caso de necessidade, contribua e facilite um diálogo mais fácil.

Nem nessa Sessão Pública, nem em outra altura qualquer foi dada resposta a esta pergunta, que continua a ser pertinente. Talvez a resposta esclareça porque é que a fiscalização da Câmara Municipal de Setúbal não funciona com esta construtora em particular, nem agora nem NUNCA!
Eis mais um excerto do mesmo texto (não esquecer da sua data - 07/11/2007):

(...) não nos tendo parecido transparente a actuação dos serviços de fiscalização da Câmara, que terão sido deficientes no acompanhamento das intervenções por parte da construtora no local antes de haver o licenciamento da obra. Temos algumas dúvidas nas seguintes situações:
  1. se a construtora pediu autorização para as referidas intervenções,
  2. se houve algum procedimento por parte dos serviços camarários:
  • na eventual ausência desses pedidos,
  • pela não colocação no local de aviso de pedido de licenciamento durante 17 meses para o projecto 274/06 e 5 meses para o projecto 172/07,
  • por terem deixado no local durante mais de 2 meses um buraco com 8 metros. Recorde-se que o mesmo foi feito aquando do estudo da consistência dos terrenos na zona do Bloco 1 e somente depois do jornal O Setubalense ter denunciado a situação em 01 de Agosto foi a situação regularizada rapidamente.
Como se pretendia uma resposta no decorrer dessa Sessão Pública, por uma questão de cortesia para com a Sra Presidente Maria das Dores Meira, e em nome da transparência, foi-lhe enviado este texto 6 horas antes da Sessão Pública, para que os seus assessores pudessem ter já alguns dados disponíveis que a auxiliassem numa resposta, mesmo que incompleta e provisória. Ainda se aguarda essa resposta, e já lá vão 2 meses e tal ...

Efeitos colaterais

Puderia o estado de sujidade continua na Rua Paulo da Gama, ser uma forma da construtora se vingar dos moradores que não lhe têm dado descanso. Mas que culpa terão os outros moradores das redondezas que vem tambem as suas ruas extremamente sujas e uma zona de aterro (de legalidade discutível) mesmo à sua porta.
Estamos a falar de bairro habitacional, perto do centro da cidade onde moram PESSOAS!

Uns dias chove ... outros dias faz sol (Parte II)

Faltam-me as palavras!
Como dizia o Sr. Pedro num comentário recente "Está a haver uma obra, não podemos esperar que esteja tudo limpo 24h por dia. Ou será que já estamos tão preguiçosos que já nem queremos limpar os pés ao chegar a casa?".
Estavamos proventura a ser exigentes demais.
A Câmara Municipal de Setúbal simplesmente ignorou o que foi dito na ultima Sessão Pública e as palavras da Sra. Presidente Maria das Dores Meira, levou-as o vento!
A ultima vez que esta zona foi limpa de alguma forma, foi no passado dia 8, já lá vão 10 dias. E já passou 1 semana desde que houve um compromisso de que a situação iria ser alvo dos serviços de fiscalização desta autarquia.
De referir também, que a muito má programação da chegada do material para a obra, obriga a que veículos de grandes dimensões (chegam a ser 4) ocupem durante longos períodos, locais de um suposto parque de ligeiros, restringindo de maneira significativa a oferta para os moradores, o que pode ser visto na foto correspondente ao dia 15-01-2008.
Toda esta zona habitacional, que rodeia o local onde a Sociedade de Construções H.Hagen pretende construir um projecto habitacional, está um NOJO!!!

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Procure as diferenças

Temos orgulho no que fazemos!

Ando a precisar de óculos

Oportunidade de negócio

Aproveitando o facto da grua a operar no local, onde a Sociedade de Construções H.Hagen pretende construir um projecto habitacional, estar exageradamente próxima de um edifício já existente, lembraram-se os moradores de criar um serviço personalizado de bar e cafetaria, para que o operador da grua não tenha que se ausentar do local de trabalho e assim pôr em causa o avanço das obras, que decorrem a bom ritmo.Os lucros deste serviço irão ser utilizados pelos moradores para prosseguir com a acção judicial contra o referido Projecto.

English version >>

More information >>

Uma imagem vale mais que mil palavras!

Pedido de desculpa

Por desejar que haja, no mais curto prazo possível, a continuação aos trabalhos previstos no Programa de Reabilitação Urbana (PRU)- Consolidação e Tratamento de Espaços Públicos - Av. D.Manuel I, não analisei bem a realidade. Também os trabalhos estarem a ser executados pela empresa IPODEC que habitualmente vemos a efectuar serviços para a Câmara Municipal de Setúbal e Junta de Freguesia de S.Sebastião não ajudou a clarificar a situação.

Contudo a limpeza do espaço era urgente, com vista à montagem das bancadas onde o público vai puder admirar o trabalho de um grupo de trinta e três escultores de várias nacionalidades que participam no 1º Festival Internacional de Esculturas em Terra (LAVRA 2008).
Como o evento tem relevância a nível local, apesar de se tratar de uma propriedade privada, será sempre reconhecido um eventual apoio dos orgãos autarquicos.



More information >>

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Agenda cultural - Lavra 2008

Cerca de 250 mil pessoas são esperadas no 1º Festival Internacional de Esculturas em Terra - LAVRA 2008 - que decorre até 01 de Abril, numa zona cuidadosamente preparada pela organização.A edição tem como tema o Urbanismo e tem importantes patrocinadores ligados ao tema.
O 1º Festival Internacional de Esculturas em Terra (LAVRA 2008) abrirá ao público no dia 19 mostrando trinta e cinco mil toneladas de terra, onde se espera dos concorrentes esculturas de exemplos do bom urbanismo desta cidade. O festival ocorre na Fonte do Lavra - Setúbal, e exibirá um conjunto integrado de esculturas em terra de grandes dimensões. A cidade de terra começará a ser construída a partir de amanhã, por um grupo de trinta e três escultores de várias nacionalidades,
O LAVRA 2008, organizado por uma construtora conhecida, é o único festival do género na Península Ibérica e, pela sua dimensão e quantidade de terra utilizada, poderá tornar-se na maior exposição de esculturas em terra construídas em todo o mundo.
O LAVRA 2008 poderá ser visitado todos os dias, entre as dez da manhã e a meia-noite. Durante o dia as esculturas podem ser admiradas em todo o seu detalhe e a noite traz outra atmosfera ao parque de esculturas, que é iluminado por um jogo de luzes concebido de acordo com o simbolismo do exemplo retractado.

English version >>

More information >>

Diário de obras - 3ª semana

Mais uma semana passou, e aqui estão as imagens dos avanços das obras no local do Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen.
Assim ao alcance de um click podem ser vistas as transformações de toda esta área.






English version >>

More information >>

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Parabens!

Estão de parabéns os que tomaram a iniciativa de dar continuação aos trabalhos previstos no Programa de Reabilitação Hurbana (PRU)- Consolidação e Tratamento de Espaços Públicos - Av. D.Manuel I.
Depois de durante o mês de Novembro de 2007 terem modificado o sistema de fixação dos caixotes do lixo, que em dias de vento andavam Avenida abaixo, nunca tendo contudo originado qualquer acidente rodoviário digno de registo, iniciou-se hoje de manhã a limpeza de uma zona de matagal junto ao Viaduto sobre a Avenida D.Manuel I (sentido ascendente) pela empresa IPODEC.
Vai agora poder ser apreciado na sua globalidade a nova escultura em terra (diga-se em abono da verdade que é de uma originalidade discutível) existente no local onde está prevista a execução do Projecto 172/07 propriedade da Sociedade de Construções H.Hagen.

A pulga e o elefante

Uma fábula para os mais pequenos:

Era uma vez uma pulga que saltava e saltava e voltava a saltar para ver mais alto, lá para o outro lado do mundo.

De tanto saltar, foi parar, sem querer, à cabeça de um elefante que por ali passava calmamente com os seus amigos e família.

Quando se viu pousada na cabeça do elefante pensou:

- Agora já não tenho necessidade de andar para aqui aos saltos, saltinhos e saltões, porque daqui de cima vejo tudo até ao longe, como se estivesse numa montanha.

Assim pensou, assim o fez. Chamou logo a sua famelga pulguenta e lá foram instalar-se no "cucuruto" do paquiderme com grandes vivas de felicidade e alegria.

Ora o elefante senhorio começou a sentir uma coisa estranha no andar de cima. Uma sensação incómoda de último andar ocupado por vizinhança desconhecida e em festa agitada. Para escutar e sentir melhor, volta não volta parava, controlando as suas enormes orelhas, e punha-se à escuta para captar o que se passava.

O pulguedo em festança lá estava, observando do alto a paisagem, tomando chá e biscoitos de pulga, em festa de arromba, aliviados de tanto salto ter dado.

A pulga rainha, que lhes tinha indicado aquele miradouro, tinha um chapéu enorme, espécie de corôa, para se distinguir das outras pulgas. Uma espécie de campeã dos saltos. De repente, uma ventania muito forte veio sem avisar e o chapéu saltou-lhe da cabeça real e foi voando, voando pelo ar fora, e só parou dentro do olho do elefante, numa altura em que ele, muito paradinho, tentava, de olhos esbugalhados e muito concentrado, perceber a origem e o porquê daquela algazarra. O nosso elefante, com o chapéu enfiado no olho, deitava abundantes lágrimas, como aquela poeira que nos entra pela vista sem avisar e nos deixa a chorar, como um rio deslizando pela cara abaixo.

Então a pulga do chapéu resolveu aventurar-se para recuperar a sua preciosidade real.

Desceu até à grande orelha do elefante e segredou-lhe:

- Senhor elefante, senhor elefante, sou eu, a vizinha do andar de cima, está-me a ouvir?

Sim, como é que uns super ouvidos como aqueles, não haviam de ouvir? Aquele som, junto aos tímpanos, parecia-se com o ressoar de trovões dentro de uma panela!

O elefante, com o olho a deitar lágrimas, eriçou a tromba e como uma trompete, lá perguntou aflito:

- Quem é que está aí aos berros?

- Sou eu, a sua vizinha pulga. Posso ajudar a parar essa dor que o faz chorar!

-Como?- Perguntou o elefante a desfazer-se em água pela tromba abaixo.

- Posso ir aí ao lado e tirar esse mal do seu olho. Logo ficará melhor!

O elefante, que não sabia o que era uma pulga, ao princípio desconfiou se aquilo não era a voz de algum fantasma, ou o truque do seu primo com a mania de ser ventríloquo. Mas como a dor não saía, nem com a esfregadela da tromba, lá se resignou dizendo:

- Está bem ó Dona Pulga. Não sei se você existe, mas se existe ajude-me, pois parece que me entrou um porco espinho para o olho.

- Não é um porco espinho. É o meu belo chapéu em forma de coroa que me voou da cabeça.
Com um salto bem treinado, a pulga rainha chegou-se perto do olho do paciente e zás, tirou-lhe o chapéu, o que provocou um alto som de alívio do elefante, agora agradecido e olhando para a pulga com melhor visibilidade.

- Você é que é uma pulga? Que raio de bicharoco mais pequeno e saltitão! Bem, mas muito obrigado por me ter aliviado desta dor de olho chorão. E já agora onde vive?

- Eu? Bem, se não ficar zangado comigo vou-lhe contar. Estava eu aos saltos no chão, aqui perto, quando um salto mais campeão me levou ao cimo da sua linda, linda e espaçosa cabecinha, ainda por cima com uns abaniques que dão fresquinho e lindos como asas ao vento. Quando estava lá no seu alto, a vista era magnífica e, com um assobio especial de pulga, convidei os meus amigos e famelga pulguenta a subirem, de salto ou pela tromba acima, assim acontecendo. Foi a visão mais bonita que tivemos todos até agora, fartos de andar sempre aos saltos de terra em terra, de cão em cão, de gato em gato. Como pode sentir daqui, lá estão todos ainda numa grande festa, com uns senhores da montanha, deliciados com a vista no horizonte.

O elefante, ainda com um olhar espantado, ia ouvindo a história daquele bichinho chamado pulga e quase não acreditava na ocupação do seu espaço superior entre as orelhas. Mas como tinha uma dívida de gratidão pelo alívio da vista, lá compreendeu, decidindo apresentar a pulga à sua família maravilhosa e restantes amigos da manada, sempre unida, com boa memória, como todos os elefantes, grandes de corpo e dóceis de coração.

A pulga, por sua vez, prometeu apresentar todo o seu povo pulguento e, com aquele assobio especial, chamou a sua gente, formando-se logo uma grande fila, numa confraternização com os paquidermes, trocando amizades e experiências de saltos e jactos de água saídos das trombas, entre risos e conversas de animais pequenos e animais enormes.

Enfim, o tamanho não tem grande importância. Foi tudo uma questão do elefante saber da existência da pulga, embora a pulga já conhecesse o elefante, e agora muito melhor, depois daquele ponto alto.

E assim ficaram amigos. Os elefantes deram-lhes autorização para viverem no alto de toda a manada.

Neste momento fazem festa todos as semanas. Convidam os elefantes para dançar. Ainda tentaram que estes dessem alguns saltos, mas nada feito, pesadões como são! Dão grandes passeios pelas florestas, sempre em festa e com belas paisagens, num nunca mais acabar.
Um dia ainda passam por aqui. Estejam atentos ao assobio especial da nossa amiga pulga, rainha e campeã de saltos...!

in - http://sotaodaines.chrome.pt/sotao/o%20sotao%20da%20ines%20-%20so%20texto/histor51.html

A 3ª opinião (Parte II)

Foi este o efeito na prática, produzido pela decisão ponderada que o Mmº. Juiz do Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada tomou, depois de apreciar à Providência Cautelar nº 39/08.2 BEALM, intreposta pela Administração do Condomínio sito na Avenida D.Manuel I, 17 contra a Câmara Municipal de Setúbal pela sua actuação no licenciamento do Projecto 174/06 da Sociedade de Construções H.Hagen.

domingo, 13 de janeiro de 2008

Memórias - Inauguração do Viaduto

A inauguração vista pelo Jornal "O Setubalense".

Versão em PDF >>

A inauguração vista pelo Jornal "Correio de Setúbal".

Versão em PDF >>

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Tantas vezes o cântaro vai à fonte ...


Deu entrada esta tarde no Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada a Providência Cautelar à qual foi atribuido o nº 39/2008 BEALM, intreposta por moradores do nº 17 da Avenida D.Manuel I, contra a Câmara Municipal de Setúbal pela sua actuação no licenciamento do Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Denuncia pública

Porque a paciência tem limites, resta-nos sempre o direito à indignação e denuncia. A Administração do Condomínio da Avenida D.Manuel I, n.º 17 leu o seguinte Comunicado na Sessão Pública da Câmara Municipal de Setúbal de hoje, no espaço reservado aos munícipes.
Versão em PDF >>
A Sra. Presidente da Camara Municipal de Setubal, prometeu entregar durante o dia de amanhã aos serviços de fiscalização da autarquia, a denuncia apresentada.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Uns dias chove ... outros dias faz sol

Uns dias a Rua Paulo da Gama está limpa ... outros dias está um nojo!
Depois da denuncia do passado sabado, durante todo o dia de ontem, uma maquina apareceu e ao percorrer a rua de tempos a tempos, em missão de limpeza, esta mantinha-se com um aspecto razoavelmente limpo. O dia passou, e hoje voltamos ao início: uma grande porcaria!
Volta-se a referir que a Sociedade de Construções H.Hagen que se enconta a construir no local, é uma empresa certificada.
Teremos de ser obrigados a ter os tapetes dos nossos carros sujos de terras e passar alguns minutos a limpar os pés antes de entrar em nossas casa? Porquê?
Foi informada da situação, a Divisão de Trânsito da PSP de Setúbal, desconhecendo-se se esta compareceu no local.

English version >>

More information >>

Diário de obra - semana 2

Mais uma semana passou, e aqui estão as imagens dos avanços das obras no local do Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen.
Assim ao alcance de um click podem ser vistas as transformações de toda esta área.







English version >>

More information >>

Uma grande mentira! Será?

Depois dos ultimos acontecimentos junto ao Viaduto sobre a Avenida D.Manuel I onde a Sociedade de Construções H.Hagen pretende construir 2 projectos habitacionais (Projecto 274/06 e Projecto 172/07), já julgo tudo possivel. Os estudos para viabilizar a construção de um Palácio de Congressos sobre a Pedra Furada, podem transformar esta grande mentira, numa futura verdade.
Foi esta noticia interessante que descobri, depois de ter retomado as actividades de investigação sobre a história e memórias desta zona.

Versão em PDF >>

Uma acção louvável

Pelas 09:50 os funcionários da divisão de trânsito, concluíram a colocação de sinalização apropriada, que identifica o espaço entre as vedações do Projecto 274/07 da Sociedade de Construções H.Hagen e o prédio n.º 17 da Avenida D.Manuel I como sendo uma saída de garagem, após pedido feito nesse sentido pelo proprietário da referida garagem no passado dia 2 de Janeiro junto dos serviços camarários.
Se por vezes havia já estacionamento abusivo nesta área, agora com as alterações existentes no local, a identificação do acesso à garagem tinha ficado comprometido, proporcionando situações que puderiam comprometer o sossego dos moradores/proprietário da garagem.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

What is Nanotechnology?

Um pouco de "kultura" cientifica, não ficará certamente mal:

"The word nanotechnology is a combination of the two terms "nano" and "technology." A palavra nanotecnologia é uma combinação dos dois termos o termo "nano" e "tecnologia". From this alone, it is apparent that nanotechnology is an application of scientific concepts at the level of molecules and particles, the sizes of which fall within the range of 1 to 100 nanometers. A partir desta sozinho, verifica - se que as nanotecnologias é uma aplicação de conceitos científicos ao nível das moléculas e partículas, o tamanho do que se enquadram na faixa de 1 a 100 nanômetros. In a nutshell, nanotechnology refers to functional engineering at the level of molecules. Em suma, a nanotecnologia se refere a engenharia funcional ao nível das moléculas."

( http://www.tech-faq.com/lang/pt/nanotechnology.shtml )

Da mesma forma, a programação em HTML actua ao nivel do código-fonte, o que não pode ser visto a olho nú, nem recorrendo a microscópios electónicos.(+)

Os meliantes

Será que os moradores que circundam a área onde decorrem os trabalhos preparatórios para a possível construção do Projecto 274/06 pela Sociedade de Construções H.Hagen não são de confiança, que obrigam a referida empresa a despesas suplementares, com a contratação de uma empresa de segurança para assim evitar que 'desconhecidos' vandalizem ou furtem algum material do estaleiro. As nossas gentes, constituídas essencialmente por pessoas de idade madura não era merecedora de tal desconfiança. O episódio da noite de 26 para 27 de Dezembro, terá sido esporádico e relacionado certamente por o local dos acontecimentos ter sido o local de passagem de muitos carros durante anos a fio, cujos proprietários de repente se viram privados de uma passagem rápida para a Rua Paulo da Gama e assim passarem a ter de dar uma grande volta. Na prática, somos gente boa e pacífica.
Poderiam, ao contratar a empresa de segurança ter evitado que o destacado para a primeira noite não permaneçesse no referido local em condições desumanas, na óptica dos moradores. Visitem o local e façam o vosso juízo.

Aromas

Será para proporcionar aromas menos agradáveis aos moradores do n.º17 da Avenida D.Manuel I, o motivo pelo qual escolheram a localização das casas de banho móveis que irão servir o pessoal a trabalhar no Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen, exactamente no local mais próximo de habitações, numa enorme área onde está a ser ultimado o estaleiro da referida obra?
Que parece uma provocação, lá isso parece!

Uma grande volta (Parte II)

Como se não bastasse os nossos carros terem sido impedidos de utilizar o terreno baldio devido à colocação de vedações no local onde a Sociedade de Construções H.Hagen pretende construir o Projecto 274/06, agora os peões (moradores ou visitantes) quando soprar vento com alguma intensidade dos quadrantes de sul, irão certamente escolher um caminho seguro, apesar de terem de dar uma grande volta, para se deslocarem da Rua Paulo da Gama, local onde actualmente estacionam as suas viaturas, para a Avenida D.Manuel I, recorrendo para isso à Rua Gil Eanes, pois a passagem entre as vedações e as traseiras do prédio nº 17 se encontra com aspecto perigoso.

A vedação encontra-se danificada, não por um acesso de fúria de um morador, mas devido a uma manobra menos bem calculada na tarde de 2º feira de um camião basculante que se encontra a transportar terra deste local para o local onde a Sociedade de Construções H.Hagen pretende construir o Projecto 172/07.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Internet versus Internet

Como tudo na vida a Internet é uma arma de dois gumes. Tanto pode servir para aumentarmos a nossa Cultura, como tornar-se uma arma muito mais poderosa do que a televisão e o rádio porque é interactiva, anónima e não está legislada.

A seu tempo, voltaremos a este tema.

Resistência à mudança



Resistência à mudança é algo absolutamente normal e esperado em TODOS os seres humanos. Esta resistência manifesta-se de diversas maneiras, que vai desde a ansiedade, o descontentamento frente às novas situações, até mesmo à sabotagem das mesmas. O importante é aprendermos a lidar melhor com nossas resistências. Não há, pois, nada de inesperado quando as pessoas reagem à perspectiva de perda. Se uma mudança vai ocasionar perdas reais para um grupo de pessoas, esse grupo tem que ser analisado com muito cuidado. A primeira pergunta a ser feita é se há alguma possibilidade de negociação para compensar as perdas. Em caso negativo, há que analisar se o grupo que perde tem poder ou influência suficiente para bloquear ou prejudicar o projecto. Todos os dias vemos isso acontecer nos Tribunais, com projectos que vão sendo adiados ou modificados para se tornarem viáveis. Noutros casos, o que existe é falta de informação. A existência do projecto começa a ser divulgada de boca em boca e a coisa, rapidamente, foge do controle com os mais conservadores achando que vão perder, os mais moderados querendo saber mais a respeito e os optimistas, geralmente poucos nos dias de hoje, achando que vão sair a ganhar. Na medida em que a informação demora a ter efeito, meras hipóteses passa a ser verdades pessoais, o lado mau da força acaba por se impor e o circo está armado. Certamente, um circo de horrores…
Texto adaptado a partir dos seguintes sites:

http://marcostelles.wordpress.com/2006/05/09/a-falacia-da-resistencia-a-mudanca/

http://www.duomodesenvolvimento.com.br/index.php?codwebsite=&codpagina=00014965

Não fora o secretismo, ainda não convenientemente explicado, e não teriamos certamente o "circo" montado na Fonte do Lavra.

A 3ª opinião


Indeferido.(...). Foi esta a decisão ponderada que o Mmº. Juiz do Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada tomou, depois de apreciar à Providência Cautelar nº 14/08.2 BEALM, intreposta pela Administração do Condomínio sito na Avenida D.Manuel I, 17 contra a Câmara Municipal de Setúbal pela sua actuação no licenciamento do Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen.
Como o indeferimento tinha essencialmente a ver com questões formais, estas irão ser objecto de melhor análise e em vez de recorrer desta sentença, irá ser apresentada uma 2ª Providencia Cautelar.

English version >>

More information >>

Porque a justiça é cara

A Administração do Condomínio do prédio Sito na Avenida D.Manuel I,17 que é o edifício de toda esta zona que irá sofrer o maior impacto, com a construção do Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen, licenciado pela Câmara Municipal de Setúbal no passado dia 26/12/2006, perante uma injustiça que os obrigou, numa primeira fase, a despender verbas com a justiça que nunca foram previstas ou orçamentadas, disponibilizará em breve (após a próxima Assembleia de Condóminos) o seu número de conta bancária para que, anónimos ou entidades que queiram ser solidários nas despesas deste Condomínio com o processo judicial, o possam fazer através de transferência bancária.
Contudo, não será a falta de recursos financeiros que impedirá a nossa tentativa de provar que a razão nos assiste.

Texto introduzido a 01/02/2008

Após uma Assembleia de Condóminos realizada a 31/01 não foi consensual a utilização da conta deste condomínio para contribuições solidarias anónimas, já que neste momento o processo judicial foi despoletado por moradores em nome individual.
Fica assim disponível a conta individual de um dos moradores envolvidos, para que todos os que se identificarem com a iniciativa, possam de alguma forma solidarizar-se com a mesma através de donativos anónimos.
Para salvaguardar alguma privacidade dos montantes envolvidos, será disponibilizado somente o numero de donativos e o montante em falta. Mensalmente serão divulgados estes valores.
Na eventualidade do numero de donativos ou respectivos montantes ficarem acima do esperado serão divulgados antes do final do mês esses valores.

Banco Comercial Português
NIB - 0033 0000 00000000000 00 (conta encerrada)

Adicionado em 02/03/2008

MêsContributosValorEm falta
Fevereiro00---

Adicionado a 04/03/2008

Decorreu hoje, dia 4, no Tribunal Fiscal e Administrativo de Almada a primeira sessão de julgamento da Providencia Cautelar 39/08, na qual foram ouvidas as 13 testemunhas, que foram arroladas por todas as partes envolvidas neste processo judicial.

Adicionado a 26/03/2008

Fomos notificados hoje de manhã que a nossa 2ª Providência Cautelar foi indeferida. Não ficam contudo esgotadas as nossas possibilidades de continuar a lutar por uma justiça que julgamos merecer.

Adicionado a 09/04/2008

MêsContributosValorEm falta
Fevereiro00---
Março00---

Em 1 de Abril (e não é mentira) deu entrada no Tribunal Fiscal e Administrativo de Almada a acção principal que irá tentar impugnar o acto administrativo que levou ao licenciamento deste projecto. É um processo mais moroso, mas a nossa ideia de Justiça continua inabalável. O que foi julgado na Providência Cautelar foi somente se a construção poderia ou não continuar. A legalidade ou falta dela no licenciamento, ainda irá ser apreciada na acção principal. Se nos for dada razão, teremos uma nova atracção turística na Fonte do Lavra para ver a implosão do "MURO" da VERGONHA!
Já passou o tempo (felizmente) em que o crime compensava e depois de algum tempo embargado era só necessário pagar as multas respectivas para que os 'abortos' tivessem direito a viver.


Adicionado a 04/05/2008

MêsContributosValorEm falta
Fevereiro00---
Março00---
Abril00---


Adicionado a 08/06/2008

MêsContributosValorEm falta
Fevereiro00---
Março00---
Abril00---
Maio00---

Adicionado a 03/06/2008

MêsContributosValorEm falta
Fevereiro00---
Março00---
Abril00---
Maio00---
Junho00---

Foi registada a transferência de 0.50 euros no dia 31/05/2008 com o nome de M ADAL. Desconhece-se se foi um teste ao sistema, se foi uma brincadeira ou se foi o contributo possível.

Adicionado a 15/08/2008

MêsContributosValorEm falta
Fevereiro00---
Março00---
Abril00---
Maio00---
Junho10.50---


Julho150.00---

Foi devido a um engano ao efectuar a transferência, que apareceu o valor 0.50 euros referidos anteriormente. Quando tal erro foi detectado foi feita uma nova transferência, agora no valor de 50 euros, que era o contributo pretendido.

Adicionado a 10/10/2008

MêsContributosValorEm falta
Maio00---
Junho10.50---


Julho150.00---
Agosto00---
Setembro00---

Adicionado a 19/11/2008

Leitura auxiliar (pertinente) recomendada - Responsabilidade extractontual do Estado. Direito à justiça em prazo razoável

Adicionado a 02/06/2009

E eis que, quando já se tinha perdido a esperança no envolvimento de outros moradores e simpatizantes da causa, no processo judicial em curso através de uma comparticipação (que poderia ser meramente simbólica) nas custas judiciais deste processo que se prevê bastante longo, não fosse actualmente a nossa Justiça equiparada à de uma qualquer República das Bananas, chegou uma mensagem do banco com o aviso de que foi feita uma transferência para a conta que disponibilizamos para o efeito, no valor de 250 euros. Sendo um valor razoavelmente avultado é o mesmo motivo para actualizarmos este artigo. O dador é conhecido e, em nome de todos os mais directamente envolvidos no processo judicial fica aqui o nosso obrigado.
Aproveito para informar que, contrariamente ao que era esperado, a culpa morreu solteira e o resultado do inquérito que o Tribunal Fiscal e Administrativo de Almada instaurou a nosso pedido, não apurou a responsabilidade de nenhum dos funcionários da secretaria do Tribunal pelo estranho atraso no cumprimento dos formalismos e prazos normais para este tipo de processos. Se calhar descobriram que ele simplesmente caiu para trás de algum armário e por um mero acaso até foi descoberto ao fim de alguns meses, sem que felizmente nenhum rato o tivesse atacado e roído algumas paginas importantes...
Depois queixam-se de que não há motivos para desconfiarmos de alguma da Justiça que se pratica neste pais, que por não termos um clima tropical não pode ser considerado uma República das Bananas mas somente ser um país equiparado!
Em seguida fica a lista actualizada dos apoios financeiros ao nosso processo judicial até ao momento.

MêsContributosValorEm falta
Maio00---
Junho10.50---
Julho150.00---
Agosto00---
Setembro00---
Outubro00---
Novembro00---
Dezembro00---
Janeiro 2009
00---
Fevereiro00---
Março00---
Abril00---
Maio1250.00---

O blog em si já atingiu a velocidade de cruzeiro, pronto para durar o tempo que for preciso e serão publicados regularmente artigos que estão em rascunho ou em preparação sempre que suja algo de novo, haja algum suficientemente 'venenoso' para agitar as águas, ou estejamos em plena campanha eleitoral autárquica, para a qual estou a preparar uns 'mimos'.

Adicionado a 24-06-2012

Vai realizar-se no próximo dia 12/07/2012 pelas 09:30 (e durante todo o dia) a audiência do nosso processo judicial. É uma sessão pública e todos os interessados no assunto são bem-vindos a acompanhar a fase final desta novela (1ª temporada), que já dura à quase 5 anos (o que bateu todos os anteriores recordes em novelas portuguesas, os quais pertenciam à TVI).

English version >>
More information >>

E duobus malis minus eligendum

Ou em bom português ... "De dois males, deve-se escolher o menor". No passado dia 20/12, perante a movimentação de várias pessoas ligadas à construção do Projecto 274/06 da Sociedade de Construções H.Hagen, foram estas informadas que estava para dar entrada nos Tribunais, uma Providencia Cautelar para que houvesse uma 3ª opinião sobre toda a polémica que envolve estas construções. Haveria a hipótese por parte da construtora de não iniciar qualquer actividade e aguardar pelo despacho do Tribunal ou iniciar as obras, sujeita a ter de repor a situação anterior ao seu início, caso a decisão judicial vier dar razão aos moradores.

Desde 20 de Setembro que equacionamos esta opção legal, mas pelos vistos nunca a levaram a sério.

English version >>

More information >>