quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Votos para 2009

Aproveitamos para desejar um Bom Ano de 2009 a todos os que visitam este blog pelos mais diversos motivos.
O que mais desejávamos para este ano não podia ser uma novidade...
Durante cerca de 30 anos o mundo esteve dividido em dois blocos pelo chamado “Muro da Vergonha”. Construído na madrugada de 13 de Agosto de 1961 caiu de maduro no dia 9 de Novembro de 1989.

Vinte anos depois, não nos importamos de esperar pelo dia 9 de Novembro de 2009, para que os nossos desejos se concretizem, partindo do principio de que finalmente não nos vai ser negado o direito à Justiça que nos assiste, e no Tribunal Fiscal e Administrativo de Almada seja retirado da gaveta (onde se encontra somente a ganhar pó desde início de Abril de 2008) a nossa acção principal, que no limite pode decretar a demolição do nosso "MURO" da Vergonha.

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Robin

Apenas lhe quero transmitir força e esperança na sua cruzada. Sou Eng. Civil e pasme-se fui colaborador da empresa de engenharia civil que tantas dores de cabeça lhe tem causado. Continue a sua batalha, pois é movida pelos valores certos!
Uma confidência: Os seus textos são muito lidos nessa casa chegando mesmo à pessoa do seu Presidente, Eng Dias Lopes.

MFG

Robin disse...

Caro visitante

Sou uma pessoa de convicções e ainda nada me provou que estou errado. O tempo vai passando e a raiva que me atormenta, em vez de diminuir mantêm-se ou aumenta. De nada valeu ter mudado de casa ou ter arranjado um novo emprego.
Tenho pena de por questões de oportunidade e bom senso, não possa falar mais do nosso processo judicial (acção principal) e estamos a ponderar iniciar um novo processo judicial, desta vez contra o Estado Português, pela autentica 'pouca vergonha' que tem sido o seu trajecto no Tribunal Fiscal e Administrativo de Almada.
A nossa querida Câmara Municipal de Setúbal, também lavou as mãos como Pilatos (vide acta 07/2008 e logo na pagina inicial...), esquecendo-se que a acção principal é precisamente contra ela, vindo só em seguida como co-autores a Sociedade de Construções H.Hagen e o Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana. Ser testemunha de um processo judicial ou o objecto desse mesmo processo são coisas totalmente diferentes. Não confuindir Género Humano com João Germano...
Espero continuar a proporcionar-lhe bons motivos para que se mantenha um visitante deste blog.
Um Bom Ano para si.