quinta-feira, 31 de julho de 2008

Sociedade secreta

Sociedades secretas são grupos de pessoas que se reúnem em segredo com um propósito em comum. Visam objectivos secretos que vão desde o combate a tirania ou desenvolvimento de valores éticos e morais. São perseguidas e difamadas pelo seu empenho no combate a corrupção e aos valores imorais da sociedade. Geralmente combatem a exploração política e religiosa, tornando-se por isso vítimas da calúnia. Seus membros nem sempre são anónimos.

Desde à cerca de dois meses que tento sem sucesso aceder a um serviço que a Câmara Municipal de Setúbal disponibilizava no seu portal, de consulta das actas das reuniões ordinárias que se realizam habitualmente na 1ª e 3ª quarta-feira de cada mês.
Movia-me essencialmente a curiosidade, depois de ter assistido a cerca de uma dezena de reuniões durante os tempos mais 'quentes' desta nossa 'guerra'.
A minha presença nestas reuniões foi sem dúvida, para alem de tudo, uma experiência enriquecedora e fica aqui um conselho: na vossa cidade ou vila arranjem um tempinho livre e vão assistir a pelo menos uma destas reuniões. Vão certamente gostar, para alem de ser um acto de cidadania.
Voltando ao assunto do artigo. O referido portal no final do ano passado disponibilizava aos interessados as actas e restante documentação associada desde 2006. Eram portanto bastantes documentos e podia dar-se o caso, de haver limitações no servidor da internet. Assim, quando passaram a disponibilizar a documentação somente as ultimas três reuniões e era inicio do ano, achei normalíssimo.
Quando o link passou a ficar sem conteúdo é que eu comecei a fazer contas de cabeça. Seria por eu ter abusado na utilização dos textos das actas, quer aqui no blog quer no processo judicial em curso, ou será que a nossa Câmara Municipal tornou-se SOCIEDADE SECRETA.
Se a culpa foi minha, ficam aqui as minhas desculpas pessoais a quem se sentiu prejudicado.

Nota do autor: Depois de alguns meses indisponível o serviço de consulta das actas e outra documentação acessória já se encontra disponível, agora para os ultimos 20 anos. Se a ideia era a melhoria dos serviços prestados fica um reparo para quem tem a seu cargo a administração do portal da Câmara Municipal de Setúbal: quando uma pagina fica sem conteudo devido a uma manutenção necessária, deixa-se uma mensagem tipo "em manutenção" em vez de se deixar os links vazios. Assim não ficam sujeitos a interpretações maldosas, como foi o caso.
Um novo artigo a publicar brevemente com divagações filosóficas sobre a forma de apreciação de um projecto em sessão ordinária da CMS (baseado-me numa acta) numa altura em que estas ficaram novamente disponíveis é uma pura coincidência. A sua publicação continua pendente somente da oportunidade de ir tirar fotos ao local.
08-08-2008

7 comentários:

vitor pimenta disse...

tu ainda te vais foder com o que dizes ó burro do caralho,és jumento

Robin disse...

Nota-se pelo pronúncia - este homem é do Norte...

Vítor Pimenta disse...

Este é o verdadeiro Vitor Pimenta. Tirem as vossas conclusões...

Robin disse...

Depois de alguns contactos com Vitor Pimenta (o verdadeiro), da-se o incidente por encerrado, tendo-se apagado um comentário que atacava este membro da blogosfera.
O comentário injurioso fica no entanto visivel, para que quem o escreveu e certamente visita este blog, possa continuar a visitá-lo sem nos acusar de censura.

Anônimo disse...

há certas brincadeiras que nao se deviam de escrever, nao acham?.
e senhor vitor, nao é possivel você fazer isto?
nao consegue!

Robin disse...

Penso que o artigo estava a ser visado neste ultimo comentário.
Mesmo não sendo o caso, talvez seja necessário uma explicação adicional já que o tema é melindroso.
O artigo teve o cuidado de tentar não ferir susceptibilidades, recorrendo-se a uma definição da Wikipedia e a uma montagem com 4 símbolos escolhidos ao acaso na internet, de forma a que o conjunto final tivesse alguma beleza gráfica.
Essa era a 1ª parte do artigo, que funcionava como uma introdução ao tema.
A segunda parte é um texto da minha autoria, que retrata um caso em concreto, nunca uma brincadeira ou uma anedota!
Fui acusado pessoalmente pela Sra. Presidente de fazer uma marcação cerrada à Câmara Municipal de Setúbal (coisa nunca antes vista) e uma maneira de o fazer eficazmente sem ser acusado de difamação é usar as próprias armas do 'inimigo'. Daí elas terem deixado de estar disponíveis (na minha modesta opinião, que vale o que vale).

Anônimo disse...

robin.... espero que tenha conseguido visar a instituiçao em caso.... lamento o uso dos simbolos usados, nao deveram ser tomados sem ser quando devidos..... os simbolos devem ser respeitados pelos verdadeiros seguidores.... um abraço e sem ofenças.... Seven